DETALHES DA NOTÍCIA - Cabesp: Associados requerem Assembleia Geral

As associações e entidades de representação dos associados da Caixa Beneficente dos Funcionários do Banco do Estado de São Paulo (Cabesp) protocolaram na quinta-feira (12) o requerimento para que a presidenta da Cabesp convoque a Assembleia Geral Extraordinária para os associados deliberarem sobre a manutenção do atual modelo de assistência médica, hospitalar e laboratorial da Cabesp.

No total, 5.229 associados assinaram o requerimento. O número de assinaturas é muito superior ao exigido pelo artigo 31, parágrafo III, do Estatuto da Cabesp para que a assembleia seja convocada a pedido dos associados.

“Isso mostra o quanto os associados estão engajados e interessados no assunto e querem exercer seu protagonismo”, observou o secretário de Assuntos Socioeconômicos e representante da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) nas negociações com a Cabesp e com o banco Santander, Mário Raia.

Mario disse ainda que não se trata de intransigência dos associados. “Aceitamos recentemente o aumento do percentual de custeio em nossas mensalidades com a promessa de que, com o aumento, seria possível manter os serviços da Cabesp. Agora, depois do reajuste, querem mudar o serviço com a alegação que se trata de uma necessidade de redução de custo”, indignou-se o dirigente da Contraf-CUT.

O dirigente da Contraf-CUT ressaltou que os trabalhadores vão manter a mobilização, acompanhar o andamento da ação judicial e cobrar da presidenta da Cabesp a convocação da Assembleia Geral Extraordinária.

Histórico
Em julho de 2019, as entidades de representação e associações de banespianos souberam da decisão da diretoria da Cabesp de limitar os laboratórios para realização de exames apenas nos laboratórios pertencentes a rede Dasa (empresa americana de medicina diagnóstica que engloba o Delboni Auriemo, Lavoisier e Salomão Zoppi, entre outros).

Se reuniram com a Cabesp e solicitaram de documentos sobre o projeto de mudanças. Recebem uma resposta negativa da Cabesp e, então, começaram a mobilizar os associados e entraram com uma ação judicial.

No dia 10 de setembro, a 35ª Vara Civil do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo concedeu uma liminar proibindo a Cabesp de promover mudanças na rede credenciada até que a ação judicial transite em julgado.

Nota conjunta
Contraf-CUT, Afubesp, Afabesp, Abesprev e o Sindicato dos Bancários de São Paulo divulgaram uma nota conjunta sobre a entrega das 5.229 assinaturas de associados requerendo que a presidenta da Cabesp convoque a assembleia (veja abaixo a nota na íntegra).

Fonte: Contraf-CUT