DETALHES DA NOTÍCIA - Curso Étnico Racial debate as consequências da ideologia racista no trabalho

O primeiro módulo do Curso de Extensão Universitária “Desigualdades raciais no mundo do trabalho: as consequências da ideologia racista”, elaborado pelas Secretarias de Combate ao Racismo e Secretaria de Formação da Contraf-CUT, aconteceu nos dias 17 e 19 de setembro, no auditório da Contraf-CUT, em São Paulo.

Durante o curso, que contou com a participação de bancários e bancárias de várias regiões do país, foi aprofundada a história desde a chegada dos africanos libertos, que foram escravizados para trabalhar forçadamente para gerar riquezas a uma elite que permanece até hoje. “Após 350 anos de escravidão e sem nenhuma política de reparação, as práticas escravagistas ainda perduram até os dias atuais em nossas relações sociais, e o racismo é uma constante no mercado de trabalho, onde os brancos dominam os meios de produção, os negros estão nos cargos com menor qualificação e nos trabalhos mais precarizados, recebendo até 67% do salário do trabalhador branco”. Afirma Almir Aguiar – Secretário de Combate ao Racismo da Contraf-CUT

O Censo da Diversidade de 2014, mostrou que a categoria bancária contava com 24,7% de negros naquele ano. Nesta semana, foi iniciada a aplicação do questionário do III Censo. “Nós já conhecemos a realidade dos negros e negras da categoria, mas o curso dará muito mais elementos para avançarmos nessa luta, por mais contratação de negras e negros no setor bancário”, disse Almir Aguiar.

O segundo módulo acontecerá nos dias 22 a 24 de outubro (2º módulo), na sede da Contraf-CUT, das 9h às 17h. Serão 32 horas de aprendizado, com aulas elaboradas e certificadas pela Universidade Federal do ABC, que serão ministradas pelo Núcleo de Estudos Africanos e Afro-brasileiros.