DETALHES DA NOTÍCIA - Empregados da Caixa buscam Sindicato para contribuir com a luta

Os empregados da Caixa estão procurando o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região para receber informações sobre como efetuar o pagamento da mensalidade e outras contribuições.

A fim de sufocar a mobilização e organização dos trabalhadores para facilitar a retirada de direitos e as privatizações, o governo Bolsonaro editou a Medida Provisória 873, que pretende impedir o desconto em folha da contribuição dos trabalhadores às suas entidades sindicais.

“Estamos percebendo que grande parte dos empregados da Caixa têm consciência da importância da resistência e da organização da classe trabalhadora no cenário atual em que o governo pretende privatizar tudo que for possível e promover mudanças profundas na Previdência que dificultarão a aposentadoria. Por essa razão o Sindicato está buscando uma solução junto ao banco, inclusive judicialmente, para preservar os direitos dos trabalhadores”, afirma Dionísio Reis, diretor executivo do sindicato e coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa.


Desrespeitando a cláusula 42 do Acordo Coletivo de Trabalho, os próprios normativos internos do banco e a reforma trabalhista, que prevê o acordado sobre o legislado, a direção da Caixa Econômica Federal já anunciou que irá seguir a Medida Provisória, que sequer foi votada no Congresso Nacional.  

 “A direção atual da Caixa foi empossada para privatizar ativos e descapitalizar o banco vislumbrando sua privatização. E a organização dos empregados junto aos sindicatos é um entrave. Por isso os ataques para desmantelar as entidades sindicais a fim de enfraquecer qualquer resistência contra a privatização da instituição e contra a reforma da Previdência” afirma Dionísio Reis, empregado da Caixa e dirigente sindical.